quarta-feira, 29 de junho de 2016

DNA POSSUI FUNÇÕES MEDIÚNICAS



  Cientistas revelam: DNA possui funções mediúnicas: telepatia, irradiação e contato interdimensional!

“Nosso DNA é um biocomputador”, dizem cientistas russos.

Pesquisas científicas estão explicando os fenômenos como a clarividência, a intuição, atos espontâneos de cura e autocura e outros.

Quando os cientistas começaram a desvendar o mundo da genética, compreenderam a utilidade de apenas 10% do nosso DNA.

O restante (90%) foi considerado “DNA LIXO”, ou seja: sem função alguma para o corpo humano.

Porém, este fato foi motivo de questionamentos, pois alguns cientistas não acreditaram que o corpo físico traria algum elemento que não tivesse alguma utilidade.

E foi assim que o biofísico russo e biólogo molecular Pjotr Garjajev e seus colegas iniciaram pesquisas com equipamentos “de ponta”, com a finalidade de investigar os 90% do DNA não compreendido.

E os resultados apresentados são fantásticos, atingindo aspectos antes considerados “esotéricos” do nosso DNA.

O QUE AS PESQUISAS ESTÃO CONCLUINDO?

1. O DNA tem capacidade telepática

A partir das últimas pesquisas, cientistas concluíram que o nosso DNA é receptor e transmissor de informações além do tempo-espaço.

Segundo essas pesquisas, o nosso DNA gera padrões que atuam no vácuo, produzindo os chamados “buracos de minhoca” magnetizados! São “buracos de minhocas” microscópicos, semelhantes aos “buracos de minhocas” percebidos no Universo.

Sabe-se que “buracos de minhocas” são como pontes ou túneis de conexões entre áreas totalmente diferentes no universo, através das quais a informação é transmitida fora do espaço e do tempo.

Isto significa que o DNA atrai informação e as passa para as células e para a consciência, uma função que os cientistas estão considerando como a internet do corpo físico, porém muito mais avançada que a internet que entra em nossos computadores.

Esta descoberta leva a crer que o DNA possui algo que se pode chamar de telepatia interespacial e interdimensional. Em outras palavras, O DNA está aberto á comunicações e mostra-se suscetível a elas.

Pesquisas relacionadas à recepção e transmissão de informações através do DNA estão explicando os fenômenos como a clarividência, a intuição, atos espontâneos de cura e autocura e outros.

2. Reprogramação do DNA através da mente e das palavras

O grupo de Garjajev descobriu também que o DNA possui uma linguagem própria, contendo uma espécie de sintaxe gramatical, semelhante á gramática da linguagem humana, levando-os a concluir que o DNA é influenciável por palavras emitidas pela mente e pela voz, confirmando a eficácia das técnicas de afirmação, de hipnose (ou auto hipnose) e de visualizações positivas.

Esta foi uma descoberta impressionante, pois diz que se nós adequarmos as frequências da nossa linguagem verbal e das imagens geradas por nosso pensamento, o DNA se reprogramará, aceitando uma nova ordem e uma nova regra, a partir da ideia que está sendo transmitida.

O DNA, neste caso, recebe a informação das palavras e das imagens do pensamento e as transmite para todas as células e moléculas do corpo, que passam a ser comandadas segundo o novo padrão emitido pelo DNA.

Os cientistas russos estão sendo capazes de reprogramar o DNA em organismos vivos, usando as frequências de ressonância de DNA corretas e estão obtendo resultados bastante positivos, especialmente na regeneração do DNA danificado!

Utilizam para isso a Luz Laser codificada como a linguagem humana para transmitir informações saudáveis ao DNA e essa técnica já está sendo aplicada em alguns hospitais universitários europeus, com sucesso em vários tipos de câncer de pele. O câncer é curado, sem cicatrizes remanescentes.

3. O DNA responde á interferências da Luz Laser

Continuando nessa linha de pesquisas, o pesquisador russo Dr. Vladimir Poponin, colocou o DNA em um tubo e enviou feixes de Luz Laser através dele. Quando o DNA foi removido do tubo, a Luz Laser continuou a espiralar no DNA, formando como que pequenos chacras e um novo campo magnético ao redor do mesmo, maior e mais iluminado que o anterior.

O DNA mostrou-se agir como um cristal quando faz a refração da Luz, concluindo que o DNA irradia a Luz que recebe.

Esta descoberta levou os cientistas a uma maior compreensão sobre os campos eletromagnéticos ao redor das pessoas, assim como também compreenderam que as irradiações emitidas por curadores e sensitivos acontecem segundo esse mesmo padrão: receber e irradiar, aumentando e preenchendo com Luz o campo eletromagnético ao redor.

Assuma o Comando do seu Ser!

As pesquisas estão ainda em fases iniciais, e os cientistas acreditam que ainda vão descobrir muitas outras coisas interessantes!

Por enquanto, as conclusões nos estimulam a continuarmos com as técnicas de afirmações positivas, cuidando dos nossos pensamentos e das imagens por ele geradas, a fim de que as transmissões sejam correspondentes a saúde, ao bem estar e a harmonia, enviadas não apenas ao DNA como também para todo o corpo!

Tenho certeza de que o nosso DNA agradece por suas informações positivas transmitidas a ele!

Que tal melhorar as suas transmissões verbais e mentais?

Comunique-se positivamente com seu corpo e reprograme seu DNA!

Tania Resende

Nota:
Todas as informações do texto acima estão contidas no livro “Vernetzte Intelligenz” von Grazyna Fosar und Franz Bludorf, ISBN 3930243237, resumidos e comentados por Baerbel.

O livro, infelizmente, só está disponível em Alemão até agora. Você pode alcançar os autores aqui:

http://www.fosar-bludorf.com

Também poderá ouvir o próprio Pjotr Garjajev falar neste vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=COkbjvK0qws

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Ações da KGB no Brasil


Ações da KGB no Brasil

http://www.wikiwand.com/pt/A%C3%A7%C3%B5es_da_KGB_no_Brasil 

 

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Este artigo foi proposto para eliminação por consenso. Você é encorajado a melhorar o artigo, mas não remova este aviso, o que seria considerado vandalismo, além de não afetar o processo. Dê a sua opinião e caso ela seja transformada numa votação após uma semana, vote (se tiver direito ao voto) na discussão. Se aprovada, a eliminação ocorrerá a partir de 18 de abril. Usuário: se esta página possui arquivos de mídia que não são utilizáveis em outras páginas, adicione uma nota em WP:PER, para que um administrador lusófono do Wikimedia Commons verifique se ela se encontra no escopo do projeto.
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção: Texto necessita de revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Possui passagens que não respeitam o princípio da imparcialidade. Marcas Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Ciências sociais. Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde maio de 2015. A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde maio de 2015) Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido. —Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Ações da KGB no Brasil referem-se a operações realizadas pelo serviço de inteligência soviético naquele país durante a Guerra Fria. Tais ações foram executadas com auxílio, tanto de colaboradores brasileiros,[1] quanto de serviços de inteligência de outras nações.[2] [3] Estas ações pretendiam, através de contrainformação, subversão[4] e ação militar direta, ganhar influência geopolítica e, como objetivo final, estabelecer no Brasil um regime alinhado com o bloco comunista.[2] [3]

Antecedentes

Monumento na Praia Vermelha (Rio de Janeiro) em homenagem aos soldados mortos durante a Intentona Comunista.
Monumento na Praia Vermelha (Rio de Janeiro) em homenagem aos soldados mortos durante a Intentona Comunista.
A primeira intervenção soviética no Brasil, ocorreu na década de 1930.
O Partido Comunista Brasileiro foi fundado em 25 de Março de 1922, sendo reconhecido pelo Comintern (Internacional Comunista) em 1930.[5] Passou então a seguir de forma estrita as orientações deste e, posteriormente, as do PCUS (Partido Comunista da União Soviética).
Em 1934, Luís Carlos Prestes (então residindo na URSS) foi enviado, pelo Comintern, de volta ao Brasil acompanhado por outros integrantes da organização. O grupo incluía, entre outros, sua guarda-costas e companheira Olga Benário e o agente duplo infiltrado do MI6 (inteligência britânica) Johann Heinrich Amadeus de Graaf, conhecido como Johnny de Graaf.[6] [7]
A tarefa dada a Prestes pelo Comintern era de implantar um regime comunista no Brasil, então governado por Getúlio Vargas. Tentando atingir este objetivo, em Novembro de 1935 o PCB promoveu, com o auxílio de um pequeno contingente militar, a fracassada Intentona Comunista. Johnny de Graaf revelou os planos dos rebeldes aos serviços de inteligência britânico e brasileiro e Prestes convidou, equivocadamente, o oficial legalista Newton Estillac Leal para para participar da rebelião.[8] Graças a estes fatos, o governo tomou conhecimento das ações com antecedência. O despreparo rebeldes, a falta de apoio efetivo do Comintern e erros de avaliação de Prestes levaram esta tentativa de golpe ao fracasso.
Segundo o historiador Glauco Carneiro, esta ação fez centenas de vítimas.[9] A Intentona Comunista gerou, nos meios militares, um forte anticomunismo e foi um dos fatores que contribuíram para implantação do Estado Novo em 1937.

KGB no Brasil

Cenário

Emblema da KGB
Emblema da KGB
A KGB foi criada em 1954 e, em conjunto com a StB [10] da Tchecoslováquia, em atividade a partir de 1945, passou a agir ativamente no Brasil desde o início da década de 1960.[11]
A União Soviética estava entusiasmada com o sucesso da Revolução Cubana e, a fim de expandir sua influência geopolítica, passou a dar maior importância para ações expansionistas na América Latina.[11] [12] Uma prática soviética comum da era "terceirizar" os serviços de espionagem usando as inteligências de seus estados satélites. Um exemplo disto, como afirma o dissidente Ion Mihai Pacepa, a inteligência da Romênia (Securitate) realizava operações variadas no oriente médio, sempre sob a orientação da KGB.[13]
Naquele momento, existia no Brasil uma ativa comunidade de eslovacos e tchecos (ver: Imigração checa no Brasil). O empresário tcheco Jan Antonín Baťa possuía ali importantes empreendimentos [14] e o país acabara de ter um presidente de ascendência tcheca: Juscelino Kubitschek.
A KGB viu na presença desta comunidade, uma oportunidade para infiltrar-se no país e, para isso, usou dos serviços da StB.[11] Ambos passaram a trabalhar em conjunto na América Latina. Enquanto a StB explorava a imagem de seus inúmeros contatos latino-americanos para dar credibilidade às ações e, a KGB ficava responsável pela coordenação política.[2]

Agitação pré-Março de 1964

No Brasil, agentes e colaboradores da KGB/StB [10] sondavam e/ou estavam presentes em diversas áreas: instituições políticas e governamentais, forças armadas, empresas privadas e estatais, mídia, instituições científicas e até mesmo infiltrados no serviço de inteligência.[11]
A primeira metade da década de 1960, foi marcada pela forte radicalização da esquerda política.[15] Segundo o historiador Jacob Gorender, durante este período, a esquerda estava mobilizada e pronta para dominar o poder político no país. O próprio afirma:
O período de 60 a 64 marca o auge da luta de classes no Brasil. Nos primeiros meses de 1964 esboçou-se uma situação pré revolucionária e o golpe direitista se definiu pelo caráter contrarrevolucionário preventivo. Houve chance de vencer, mas foi perdida. O pior é que foi perdida de maneira desmoralizante.[16]
O historiador Daniel Aarão Reis Filho sobre a mitificação e romantização da luta armada de esquerda:
As ações armadas da esquerda brasileira não devem ser mitificadas. Nem para um lado nem para o outro. Eu não compartilho da lenda de que no final dos anos 60 e no início dos 70 (inclusive eu) fomos o braço armado de uma resistência democrática. Acho isso um mito surgido durante a campanha da anistia. Ao longo do processo de radicalização iniciado em 1961, o projeto das organizações de esquerda que defendiam a luta armada era revolucionário, ofensivo e ditatorial. Pretendia-se implantar uma ditadura revolucionária. Não existe um só documento dessas organizações em que elas se apresentassem como instrumento da resistência democrática.[17]
A Marcha da Família com Deus pela Liberdade, foi uma reação ao discurso do presidente João Goulart no Comício da Central (13 de Março de 1964). A marcha foi apoiada por importantes think tanks conservadores como o IPES (Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais) e o IBAD (Instituto Brasileiro de Ação Democrática). Um dia após o golpe que depôs Goulart, foi realizada na cidade do Rio de Janeiro, a Marcha da Vitória, ocasião em que um milhão de pessoas reuniram-se para comemorar a ação dos militares.[18]

Ações

Operação Toro / Thomas Mann

Em Fevereiro de 1964, foi montada uma operação de desinformação com o objetivo de convencer a opinião pública de que, após a morte do presidente John F. Kennedy, os EUA pretendiam adotar uma política externa agressiva na América Latina. E que, tal política resultaria inevitavelmente, num maior intervencionismo econômico, político e militar do governo americano na região. Esta foi a "Operação Toro," (A.O. TORO) [11] conhecida como Operação Thomas Mann, numa alusão ao assistente do secretário de Estado dos Estados Unidos, Thomas A. Mann, escolhido pelos agentes de desinformação para ser acusado de ser o autor desta política.[2]
A Operação Thomas Mann consistiu em plantar informações falsas na mídia latino-americana, dando a entender que tais informações partiam de órgãos oficiais dos Estados Unidos (ver: operação de bandeira falsa). As principais falsificações postas em circulação foram: Um comunicado de imprensa com o carimbo oficial da agência de informação americana no Rio de Janeiro, revelando a "política imperialista" concebida por Thomas A. Mann. Panfletos de um fictício "Comitê para a Luta contra o Imperialismo Ianque", que denunciavam a presença de agentes da CIA e do FBI no Brasil. E que estes "agentes" estariam disfarçados como empresários, jornalistas e diplomatas. E, uma carta com a assinatura do diretor do FBI, John Edgar Hoover. Carta que parabenizava FBI e CIA pelo "bom planejamento e sucesso na execução do golpe de 1964."[2]
Em 27 de Fevereiro daquele ano, o jornal O Semanário publicou o falso comunicado de imprensa com o título: "Mann fixa linha dura para os EUA - não somos mascates para entrar em barganhas. Ianques só ajudarão o Brasil em troca de concessões."[2] O artigo com o falso comunicado de imprensa era acompanhado de um ataque antiamericano.
O cônsul americano no Rio de Janeiro negou a existência desta "política imperialista" e que o consulado teria emitido aqueles comunicados de imprensa. Apesar do desmentido, as notícias falsas continuaram circulando. Órgãos de imprensa da América Latina passaram a publicar "notícias" sobre a "política linha-dura de Mann" de "favorecimento de golpes de Estado" dirigida principalmente contra Cuba, Brasil, Chile, Uruguai e México. Thomas A. Mann foi convertido num símbolo do imperialismo e intervencionismo americano.[2]
A operação Toro / Thomas Mann convenceu a opinião pública, brasileira e internacional, que os Estados Unidos foram responsáveis por organizar e financiar (e, participar ativamente) do Golpe de Estado no Brasil em 1964.[2] Sobre esta acusação a historiadora Phyllis R. Parker declara:[19]
Não há provas de que os Estados Unidos instigaram, planejaram, dirigiram ou participaram da execução do golpe de 1964. Cada uma dessas funções parece ter competido a Castelo Branco e seus companheiros de farda. Ao mesmo tempo, há sugestivas evidências de que os Estados Unidos aprovaram e apoiaram a deposição militar de Goulart quase que desde o princípio. Os Estados Unidos reforçaram o seu apoio ao elaborar planos militares preventivos que poderiam ter sido úteis para os conspiradores, se houvesse surgido a necessidade.

Doutrinação ideológica no movimento estudantil e financiamento para políticos

A cosmonauta Valentina Tereshkova, 1ª mulher a ir ao espaço, (esq.) durante a celebração do Dia Internacional da Mulher (8 de Março de 1972) na Universidade Patrice Lumumba.
A cosmonauta Valentina Tereshkova, 1ª mulher a ir ao espaço, (esq.) durante a celebração do Dia Internacional da Mulher (8 de Março de 1972) na Universidade Patrice Lumumba.
Em 1953, o PCUS passou a oferecer cursos para comunistas brasileiros.[20] Estes cursos, que incluíam treinamento militar e doutrinação político-ideológica, duraram até 1990 durante o andamento das reformas econômicas e políticas (perestroika e glasnost) promovidas pelo dirigente Mikhail Gorbachev [20] (ver: Era Gorbachev).
Além da KGB e da StB,[10] outras nações do bloco comunista atuaram no Brasil. Desde 1961, Cuba treinou e deu suporte material a guerrilheiros do país.[21] Durante a ditadura militar, Albânia (com ajuda propagandística),[22] Coreia do Norte [23] e República Popular da China [22] apoiaram as guerrilhas (ver: Luta armada de esquerda no Brasil).
Aproximadamente 1300 estudantes brasileiros cursaram universidades soviéticas, onde a matéria marxismo-leninismo era obrigatória em todos os cursos.[20] A maioria destes alunos frequentaram a Universidade Patrice Lumumba [20] (atual Universidade Russa da Amizade dos Povos) criada em 1960, por iniciativa de Nikita Kruschev, que teve entre seus alunos Ilich Ramírez Sánchez (mais tarde conhecido como o terrorista Carlos, o Chacal).
Em geral, estes estudantes eram familiares de membros da cúpula do PCB e, de volta ao Brasil, alguns tornaram-se funcionários de empresas estatais e ao menos um, diplomado em medicina, ingressou nas Forças Armadas do Brasil nos anos 1980.[20] Ao longo das décadas de 1960 e 1970, conseguir para uma bolsa de estudo para um dos filhos na Universidade Patrice Lumumba, era o sonho de pais comunistas de todo o Terceiro Mundo.[24]
Sonia Seganfreddo, estudante de filosofia nos anos 1950, denunciou em 1963, no livro UNE: Instrumento de Subversão[25] as estratégias da militância estudantil esquerdista para tomar o controle a UNE (União Nacional dos Estudantes). Neste livro, ela relata a perseguição de que foi vítima, ao recusar-se a participar da "luta política" no interior do ambiente acadêmico e, descreve os métodos de doutrinação usados para atrair os alunos calouros. Estes métodos, denominados por ela como "catequese", incluíam até a promessa de favores sexuais para atrair os novos alunos.[25] Alunos e alunas, assediados por alunos veteranos militantes de esquerda, que rejeitavam tal aliciamento e doutrinação política eram, como ela, alvo de perseguição e difamação. Depois de reprovada num vestibular fraudulento, por não passar numa "seleção ideológica", Sonia Seganfreddo foi obrigada a recorrer à justiça para garantir sua vaga na Universidade do Brasil.[25]
(...) A catequese varia de acordo com as escolas e os grupos de alunos. Os que têm tendência à liderança são os preferidos. Aos elementos inexpressivos o importante é que votem com os "progressistas." Quando um aluno se revolta com a catequese que lhe é imposta, imediatamente o serviço de desmoralização entra em ação. Logo a Faculdade conhece o "burguês decadente," o "fascista," o "débil mental," o "reacionário," o "antinacionalista," o "entreguista," etc. E é por isso que muita gente não reage contra os elementos "progressistas da esquerda..."
(...) A UNE, esta é a verdade, tornou-se uma das maiores células do comunismo internacional instalada em nosso território, servindo, os seus elementos, aos agentes bolchevistas, de quem, provavelmente, recebem dinheiro, pelos caminhos mais diversos... A entidade estudantil, portanto, constitui-se num problema de segurança nacional.[25]
Sonia Seganfreddo
Moscou financiava a UNE (União Nacional dos Estudantes) através da UIE (União Internacional dos Estudantes).[26] Esta entidade, sediada em Praga, era responsável por disseminar o marxismo-leninismo pelo o mundo através de organizações estudantis e fiscalizava as organizações a ela associadas.[25] Em Junho de 1956, um cidadão tcheco foi detido em São Paulo portando material de propaganda comunista e, descobriu-se que este mantinha contatos com UNE e UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) com a missão da selecionar pessoas consideradas "progressistas" para "representarem" o Brasil em congressos estudantis de países da cortina de ferro.[25]
O jornalista Ancelmo Gois, sobre sua associação com a KGB e como esta ajudava a promover a doutrinação política de estudantes brasileiros:[27]
Eu vivi por algum tempo com o nome falso de Ivan Nogueira. Porque estávamos na ditadura militar e a gente só conseguia ir para a Rússia, protegido pela KGB. Foi este órgão que me deu uma identidade falsa, com retrato, e me transformou numa outra pessoa. Em seguida, eu fui para uma escola comunista para jovens, a Escola de Formação de Jovens Quadros, Komsomol, do Partido Comunista da União Soviética, onde eu estudei sobre o marxismo e o leninismo.
Em 1970, eu voltei para o Brasil e vim para o Rio de Janeiro. Eu entrei no País pela Argentina, e a KGB inventou que eu estava na França. Toda a minha documentação sobre dia e horário da minha entrada naquele país foi falsificada, o que fazia parecer que eu tinha morado na França e não na União Soviética.
Eu vim para o Rio e queria apenas ser profissional do PCB. Mas nesse período houve muitas perseguições, mortes, e de repente, o partido que me dava um
salário ficou sem dinheiro e eu morando de favor, na casa do jornalista Luiz Paulo Machado, a quem eu devo muito, e que foi meu colega na Komsomol.
A URSS financiava o movimento comunista mundial [26] (pelo menos desde 1935, Luís Carlos Prestes era remunerado pelo Comintern).[8] Segundo o general da KGB Oleg Kalugin:[28] "Por ordem do PCUS, a KGB enviava dinheiro aos partidos comunistas de outros países, inclusive do Brasil. Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, foram milhões dólares."[29] Vladimir Novikov, coronel da KGB que serviu como adido cultural soviético em Brasília nos anos 1980, afirmou que Roberto Freire foi o último comunista do país a receber contribuições da URSS.[26] Contribuição recebida quando o então senador era candidato na eleição presidencial no Brasil em 1989.[26]

Evidências da ação da KGB no Brasil

Antiga sede da StB na rua Bartolomějská em Praga.
Antiga sede da StB na rua Bartolomějská em Praga.
Documentos e testemunhos provam a presença e atuação da KGB (associada com a StB) [10] no Brasil.[11] [30]
O espião tcheco Ladislav Bittman, prestou serviços para a KGB e faz uma série de revelações sobre as operações da inteligência soviética no país. Afirma que a KGB tinha seu serviço, dezenas de jornalistas brasileiros e latino-americanos e, era proprietária do jornal O Semanário, que ajudou na execução da Operação Thomas Mann (operação na qual ele próprio teve participação ativa e decisiva).[30] É autor de livros como The Deception Game [2] (1981) e The KGB and Soviet Disinformation: An Insider's View [30] (1985) onde descreve como a União Soviética controlava a inteligência tcheca, disseminava desinformação e propaganda antiamericana pelo mundo, executando operações de bandeira falsa para difamar os EUA perante a opinião pública mundial. Em seus livros, Ladislav Bittman descreve suas passagens pela América Latina, revelando detalhes sobre a ação, métodos e objetivos da KGB/StB no Brasil.
Usando o México e Uruguai como bases operacionais para o resto do continente, a inteligência tcheca enfocou sua atenção primária no Brasil, na Argentina e no Chile, assim como no México e no Uruguai. Em fevereiro de 1965, o serviço enviou-me a vários países latino-americanos, incluindo Brasil e Argentina, para fazer uma avaliação pessoal do clima político local e buscar novas idéias operacionais. Na época, a inteligência tcheca tinha numerosos jornalistas à sua disposição na América Latina. Ela influenciava ideologicamente e financeiramente vários jornais no México e no Uruguai e mesmo possuía um jornal político no Brasil até abril de 1964. Mas a desinformação estava tradicionalmente associada em larga medida a técnicas de falsificação. A Operação Thomas Mann estava chegando ao fim quando cheguei ao Brasil.[30]
Ladislav Bittman
A Revolução de Veludo pôs fim ao regime comunista da Tchecoslováquia em 1989 (ver: Revoluções de 1989) e, naquele mesmo ano, a StB passou a ser considerada uma organização criminosa sendo então extinta.[11] Em 1993, a República Tcheca e a Eslováquia separaram-se estabelecendo suas independências de forma pacífica, no que ficou conhecido como o "Divórcio de Veludo" (ver: Dissolução da Tchecoslováquia). Em 2007, a República Tcheca criou o Instituto para o Estudo dos Regimes Totalitários para investigar e denunciar os crimes do nazifascismo e comunismo. A antiga Tchecoslováquia foi ocupada pela Alemanha Nazista, de 1938 a 1945 (ver: Acordo de Munique e Europa ocupada pela Alemanha Nazista). Três anos após o término da II Guerra Mundial os comunistas tchecos, com auxílio da URSS, executaram o Golpe de Praga que extinguiu a última democracia da Europa oriental. E, de 1948 a 1989, o país foi governado por um regime comunista. Os arquivos da StB foram transferidos para o Instituto, que ficou responsável por sua guarda e análise e, obedecendo um a decreto do governo tcheco, de fazer a divulgação destes para o público em geral.[11] Em 3 de Junho de 2008, foi oficializada a Declaração de Praga sobre Consciência Europeia e Comunismo que coloca no mesmo nível os crimes contra a humanidade cometidos por regimes nazifascistas e marxistas-leninistas (ver: Comparação entre nazismo e stalinismo).
Palácio de Wallenstein, sede do senado da República Tcheca onde foi oficializada a Declaração de Praga sobre Consciência Europeia e Comunismo.
Palácio de Wallenstein, sede do senado da República Tcheca onde foi oficializada a Declaração de Praga sobre Consciência Europeia e Comunismo.
O tradutor, guia turístico e pesquisador independente de história, Mauro Abranches, obteve acesso aos arquivos do Instituto para o Estudo dos Regimes Totalitários. Assim, de forma voluntária e apolítica, pôde traduzir o conteúdo dos documentos da StB e passou a divulga-los para o público brasileiro.[11] Estes documentos oficiais do Archiv bezpečnostních složek (Arquivo dos Serviços de Segurança), revelam a existência de um acordo entre KGB e StB para a execução das mais variadas ações no Brasil: espionagem, subversão, desinformação através da manipulação da mídia, infiltração em vários setores da sociedade (política, instituições científicas, grupos religiosos, forças armadas), etc. Chama a atenção a existência de nomes de colaboradores brasileiros. Alguns, de pessoas ainda influentes nos meios político, acadêmico, midiático e indústria cultural do país. Na impossibilidade de confirmar quem era colaborador voluntário da KGB, e quem era obrigado a fazê-lo sob ameaças, e por uma questão ética, Mauro Abranches opta por não revela-los. Contudo, uma vez que o Instituto para o Estudo dos Regimes Totalitários mantém estes arquivos abertos para a consulta pública, qualquer pessoa pode acessar esta lista de nomes.[11]
Para o ex-comunista,[31] atual anticomunista e estudioso do movimento revolucionário marxista, Olavo de Carvalho, a ação da KGB, sua extensão e consequências para o Brasil, são ignoradas ou omitidas. Segundo Carvalho, a elite intelectual e os formadores de opinião brasileiros omitem a atuação comunista internacional no país, muitas vezes, por comprometimento ideológico.[32] Defende que o trabalho de Mauro Abranches é tão importante para a compreensão da história recente do Brasil, que será necessária uma revisão da história nacional. Olavo de Carvalho expressa da seguinte forma a importância desta documentação:
(...) Isto aí vai virar de cabeça para baixo a narrativa da história dos últimos 50 anos da vida brasileira. (...) O dono da história é o dono da política. (...) A nossa verdadeira história está lá. Está nos arquivos da KGB. Enquanto não abrir isso nós não vamos saber o que se passou.[33] (...) A ameaça comunista" nunca foi um pesadelo de malucos ou uma "teoria da conspiração", mas sim uma presença intrusiva e avassaladora, o mais profundo golpe já desferido na soberania nacional.[34]
Olavo de Carvalho

domingo, 27 de setembro de 2015

SONHOS





Sonhos – 
Os sonhos são informações abstratas do nosso subconsciente, onde ele provoca um deslocamento no tempo, coletando informações do passado, presente ou futuro e transmitindo à nossa consciência em forma de símbolos, cenas, emoções e etc. Isso acontece apenas para preparação do indivíduo, quando ele inicia o desenvolvimento de algumas de suas faculdades mentais. Mas este tipo de experiência é individual e não há a necessidade de ser comentada, a menos que haja um trabalho direcionado a isto. (programação de sonhos para encontrar objetos ou pessoas, transmitir informações, etc.)
Os sonhos revelam realidades diversas. Os sonhos que trazem emoções (se sonha e acorda com a sensação do sonho) são sonhos que nos trazem uma realidade. São sonhos de preparação para algo, te transmitem alguma coisa. O seu subconsciente captou uma realidade que a pessoa trouxe quando acordou. Esses sonhos podem ser continuados, dá para programar, são realidades que se pode realizar ou evitar. Seu subconsciente está te mostrando as possibilidades.
Os sonhos que não trazem emoções apenas a lembrança – a visão do sonho não modifica você no dia-a-dia. O seu subconsciente apenas realizou um deslocamento no tempo/espaço, coleta informações do passado, presente e futuro e transmite a você em forma de símbolos ou cenas para te mostrar alguma coisa, algo psicológico, uma tarefa do dia-a-dia que você tem algum problema. Não tendo emoção é apenas um sonho.
Se traz emoção tem uma certa realidade e deve ser analisado com cuidado. E não deve ser comentado no início (no astral), a princípio, mas vamos falar ainda muito sobre isso.
AINDA HÁ DE MENCIONAR A S CORES NOS SONHOS.
Sonhos acinzentados estariam na frequência de astral, mais susceptível a não realidade e a baixas frequências e se for negativo, dependendo da sua vibração energétca pode-se anular e não interferir na vida. 
Já sonhos coloridos estariam ligados ao plano mental (  plano da realização e do controle mental por parte do indivíduo). Estes poderiam ser um vislumbre para solucionar algum problema ou projeção de futuro.
Mas lembrando que para melhor interpretação é necessário auto conhecimento.

domingo, 19 de abril de 2015

Chand Baori, Índia



Chand Baori, Índia


Chand Baori é uma espetacular construção geométrica, com 13 níveis de escadas, profundidade de aproximadamente 13 metros, e uma piscina de água verde esmeralda no fundo do poço. Edificado pelo rei Chanda da dinastia Nikumbha entre 800 e 900 a.C., foi projetado para ser tão prático como é bonito. Devido à estrutura do poço, o fundo permanece mais frio do que a superfície durante o crítico verão no árido estado de Rajasthan.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Discussão do Direitos Humanos PNDH3

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=RqTTChtOXZ0

Discussão do Direitos Humanos PNDH3
Discute a inversão dos direitos humanos para conflitar e causar caos na sociedade

Constatação de um plano de desumanização coletiva, controle da população, controle número de pessoas
para que não haja o colapso entre números de nascidos e a quantidade de alimento oferecido
Direitos individuais conflitantes
Remover a família como base da sociedade
Marxismo Cultural
Manter a população apavorada e amendrontada para controle melhor

Modificação do senso comum
População mais suscetível a atender solicitações e por consequência criar a desumanização coletiva, com "lavagem cerebral". Não existe valores, princípios morais e éticos , bandidos e cidadãos contribuinte são nivelados ao mesmo patamar
Sendo o principal objetivo desumanizar o cidadão para deixá-lo suscetível as determinações do Estado ( futuro autoritarismo)

Observações: Ler Protocolos de Sião


domingo, 5 de maio de 2013

Mais um alerta

Este post deveria ser para mostra repúdio  e combater o machismo ainda existente na sociedade brasileira, mas ao invés disso vai servir como alerta para as mentes mais evoluídas continuarem na luta de conscientizar e fazer a diferença positiva nessa sociedade.
O texto abaixo foi retirado de um dos comentários deste blog, o mais espantoso é que parece que pelo o que foi escrito a pessoa está certa de que as mulheres devem ser submissas e estarem sujeitas a serem mutiladas e assassinadas pelo motivo de "crime de honra"


 Isso mostra quando se aprovam leis como a Maria a Penha, para proteger as "poderosas" mulheres dos homens maus. Não conseguem competir de igual para igual nas provas de aptidão física e hoje se valem de vantagens na hora de passar nos concursos públicos. Como soldados, se mostram inferiores, claro, sendo a maioria delas transferidas para cargos burocráticos. 

Muitas vezes já foi escrito aqui para perceberem as idéias circulantes ou novas idéias , para se ter um objetivo para qual servirão
Tem-se que estar alerta sempre para saber no que se acredita e que bandeira se estar empunhando



domingo, 9 de setembro de 2012

SOCIEDADES SECRETAS- TEMPLÁRIOS



Começaremos por ordem de popularidade  pelos templários, pois são os mais conhecidos, existe uma série de mitos sobre eles.


Esse grupo religioso, militar dos templários, eles eram chamados no início de A Ordem dos Cavaleiros Pobres de Cristo e do templo de Salomão, que a gente vai entender por que, ele foi criado em mais ou menos em 1118. Só que muitos dos registros que se encontra  alguns historiadores dizem que a sua origem, os seus conhecimentos datam de quatro séculos antes, outros dizem que a origem do conhecimento templário data de milênios antes, até porque eles inicialmente tinham conversações e tinham o conhecimento ancestral . O grupo se iniciou quando nove cruzados, o que são os cavaleiros cruzados? O movimento chamado de cruzadas, que a história convencional chama de cruzadas,  foram expedições militares, religiosas, que a igreja católica promoveu para a conquista de locais santos do cristianismo, então esse foi o movimento chamado de cruzadas, mas do ponto de vista histórico tradicional, agora do ponto de vista real existem especulações das quais e sobre a real intenção das cruzadas. A principio as cruzadas seriam para tomar locais santos para o cristianismo, mas o local mais santo para o cristianismo e não só para o cristianismo como para as outras duas religiões principais era Jerusalém, então existiam várias expedições militares para Jerusalém, certo? Foram nove os primeiros templários que se apresentaram diante do rei Balduíno I  para pedir permissão para poder proteger os peregrinos que viajavam a terra santa. Agora nós iremos entender – espera aí, nove caras vão pedir permissão para o rei para proteger peregrinos a terra santa. Será que nove caras, e, diga-se de passagem, nove caras de meia idade, iriam proteger peregrinos...?
Ao reder de Jerusalém, nós tínhamos bandidos, pois Jerusalém como toda cidade medieval grande, era cercada por muros e ao redor desses muros, circundavam ali, ladrões, saqueadores, pilhadores e etc, pois não havia lei nenhuma. O motivo real desses nove cavaleiros não foi esse, só que eles se utilizaram disso como justificativa para pedir ao rei permissão também para permanecer ali, no que era conhecido como Ruínas do Templo do Rei Salomão, por isso eu mostrei logo no início as duas figuras que supostamente seria a retratação do templo de Salomão. Então esses nove cavaleiros foram tentar ficar ali no que se conhecia como as ruínas do palácio de Salomão. Em fim, esse pedido ao rei fez com que eles ficassem conhecidos como os “Cavaleiros do Templo”, pois eles ficaram nas ruínas do templo de Salomão e depois eles acabaram sendo chamados de Templários.


Sabe-se que o grupo prosperou desde o século XII, pois as cruzadas se iniciaram ali em 1096 e os templários surgiram em 1118 e o seu auge se deu mais ou menos em mil trezentos , quando  foram destruídos pelo rei Felipe II a pedido do papa. Bom, existe muito mito sobre os templários, até porque, muita coisa do que a gente sabe hoje com o que a historiografia tradicional fala sobre eles é conhecido por um historiador franco conhecido pelo nome Guilland de tiro. Esse cara escreveu sobre a história dos templários mais de cinqüenta anos depois dos acontecimentos, então não é uma coisa muito confiável ok? Ai aconteceu de algumas pessoas passarem então a ter mais curiosidade sobre o assunto e então passaram a pesquisar mais. Então o que eles acabaram descobrindo? Bom, várias coisas. Vejam bem, os cavaleiros em 1099 eles fizeram a primeira cruzada sobre o comando de um cara chamado Godfrey de Bouillan e tinha como missão recuperar Jerusalém que estava sob domínio muçulmano e um bom filme para exemplificar isso aí é um filme chamado A Cruzada, que em inglês é chamado de “The Kingdom of Heaven” com o ator Orlando Bloom.  Então, eles fizeram em 1099, foi um sucesso total essa incursão dos templários nessa região, e eles começaram ali o seu processo de crescimento, de prestígio, principalmente depois dessa sessão, das ruínas do Templo Salomão, pelo rei Balduíno I, na qual eles acabaram fazendo parte. Daí vem à pergunta: Por que as ruínas do Templo de Salomão? Justamente pelo fato de que Hugh de Payes (figura retratada de maneira romântica, semelhante ao semblante de Jesus, retrato renascentista). Este homem era um nobre a serviço de um primo que era um conde de Champanhe e ele passou a organizar esses nove templários juntamente com Godfrey e iniciaram o processo. Agora, o que aconteceu? Esta na cara que os templários não queriam apenas proteger os peregrinos, eles eram militares altamente treinados, eram como se fosse uma tropa de elite da época e se estabeleceram no Templo de Salomão que mais tarde foi confirmado através do achamento ou da descoberta dos pergaminhos do mar morto em 1947, eles começaram lá nas ruínas onde fizeram seu templo e lá passaram a escavar, e supostamente estariam procurando relíquias, escritos, algumas idéias diferentes ai, idéias essas que foram achadas. Durante nove anos da existência dos templários, eles não recrutaram nenhum membro novo, durante nove anos foram os mesmos nove cavaleiros.
A idéia de que eles queriam realmente patrulhar os peregrinos somente é absurda.

O templo de Salomão foi construído ali aproximadamente a três mil anos, e alguns autores sugerem que ele foi construído e planejado pelo pai de Salomão o Davi, onde se situava ali acima do Monte Moriá em Jerusalém. Antes da construção desse templo, o templo Hebreu que era supostamente a morada de Javé, desde o êxodo do Egito, era uma tenda pequena e a tradição ali era que nós soubéssemos o seguinte: o templo que era quase que portátil alguns sugeriam e que ele guardava a arca da aliança. Nós
sabemos que a arca da aliança, biblicamente, supostamente estabelecia um meio de comunicação com Deus, mas a gente sabe que ela era utilizada para a comunicação com os deuses e não com Deus especificamente.

O Templo de Salomão ele foi destruído ali por volta de 586 A.C, depois foi reconstruído pelo rei Zorobabel depois que os judeus voltaram do cativeiro, e ai uma grande parte do novo projeto foi baseada em uma visão, que o profeta Ezequiel descreveu nas suas experiências com dispositivos voadores. Na época de Jesus ali, o templo que foi reconstruído pelo rei Zorobabel passou por uma reforma gigantesca para depois se tornar o templo de Herodes (o grande), tem uns filmes de cinqüenta anos atrás que retratam o Herodes o grande. Bom, depois que ele se tornou o templo de Herodes ele foi destruído quatro anos após a construção, em mais ou menos 70 D.C na revolta de judeus contra romanos. Naquela época o império romano dominava . O que acontece? Alguns remanescentes hoje em dia, desses templos judaicos, são encontrados dentro da mesquita que é chamado de o Domo da Rocha, que é um templo sagrado Islâmico, só perde na verdade em importância para Meca e para a Medina, porque dentro desse templo você encontra um grande remanescente de templos judaicos ali. Então o que acontece? Não existe dúvida nenhuma de que as escavações realizadas pelos templários foram muito extensas. No ano de 1894 o Charles Wilson descobriu algumas evidencias dos templários enquanto ele estava mapeando algumas catacumbas embaixo do Monte Moriá, que é exatamente ao onde os templários tinham se estabelecido. Daí o que ele encontrou? Imagina no século XIX, esse cara chegar nessas catacumbas e encontrar inúmeras passagens subterrâneas como ele encontrou, com arcos de pedra angular, e esses arcos eram típicos da arquitetura templária inclusive, ele encontrou também artefatos que falam sobre isso, artefatos com espora, com parte de espada, lanças e até uma pequena cruz templárias. Mas ai você pode dizer que esse achado do Charles Wilson não foi definitivo e conclusivo de que debaixo do templo de Salomão teriam aberto os túneis os templários. Então em 1947 foram descobertos os famosíssimos pergaminhos ou manuscritos do Mar Morto, que confirmaram não só que aqueles túneis foram escavados por soldados, militares, como também confirmaram que teriam sido escavados pelos templários. Existem vários vídeos no youtube que falam sobre os pergaminhos, tem também o history channel que é muito interessante. Então esses pergaminhos acabaram por corroborar com a hipótese, de alguns escritores que diziam que os templários teriam feito ali túneis embaixo das ruínas do Rei Salomão e procuraram ali alguma coisa. Há um vídeo antigo do Nassim Haramim (aquele físico famoso ), onde tem uma parte que ele fala dos templários também.  O Nassim Haramim acaba dizendo que os templários quando ali (templo de Salomão) chegaram a encontrar documentos, escrituras e etc, mas na verdade o que eles queriam era a arca da aliança, que eles “não encontraram” .

Chegou um momento na história dos templários onde eles ficaram durante sete anos, lembrem-se, eles ficaram (os mesmos nove) durante nove anos onde ninguém saiu e ninguém entrou no grupo dos templários ok? Mas durante sete anos, esses caras tentaram buscar a arca da aliança até que, em um belo dia, chegou em Jerusalém, um rei extraditado da Etiópia, que foi ao templo de Salomão, e este indagou aos templários sobre o que procuravam nos túneis que lá se encontravam, túneis esses que hoje são extremamente fortificados e quem for a Jerusalém hoje não pode entrar, pois estão muito bem guardados, com soldados, o que impossibilita a entrada. Por que será? Então, o governo Etíope, também questionou aos templários o que procuravam nos túneis, eles responderam que procuravam a arca da aliança – então o governo disse que eles estavam perdendo tempo, pois a arca da aliança estava na Etiópia, pois houve uma revolução na Etiópia onde o rei foi expulso de lá. Então esse rei fez um acordo com os templários, no qual ele pediu para que estes o ajudassem a retomar o poder na Etiópia e ele iria indicar a onde estaria a arca da aliança. Veja bem, o que aconteceu? Parece que lá na Etiópia existiam muitos judeus, hebreus, judeus, existe muito pouca coisa sobre isso, na verdade nada se fala sobre isso. Existe um escritor chamado Graham Hancock  que tem um livro interessante sobre esse assunto. Então, existiam judeus ali na Etiópia e o Nassim Haramein fala sobre isso ai na internet. Então o que acontece? A arca da aliança de fato se estabelecido ali na Etiópia, ficou numa ilha ali no rio Nilo, pois ali existia um grande fluxo, e o rio passa pela Etiópia, uma ilha esta chamada Elefantina, onde se estabeleceu um templo judeu. Inclusive, se você fosse questionar a um sacerdote judeu da época, eles sempre falavam sobre a arca da aliança na Etiópia. O fato é o seguinte:  nós não sabemos historicamente se os templários realmente acharam a arca ou não, isso historicamente, mas  há informações  do porquê essa arca existe para proteção, usada como arma como descrito na Bíblia. Os templários  eram cavaleiros que guardavam muitos segredos, inclusive o segredo da linhagem Crística, a arca da aliança e outros mistérios da antiguidade, mas que com o tempo esses templários acabaram se desviando e acabaram sendo infiltrados pelo G.O, e isso é muito claro, por que veja, qualquer instituição que teve a glória e o tamanho que os templários tiveram e não continuou pelo menos explicitamente mantendo esse poder,  essas instituições ou ficam para sempre ou se destroem ou caem em descrédito, e esse descrédito só aconteceu porque houve ali uma grande influência do G.O(governo oculto), principalmente no vaticano.


Godfrey Burillon e Hugh de Payes foram os dois primeiros grãos mestre dos templários e os responsáveis pela grande guinada dos templários no seu início, tanto que ao ponto de que em 20 anos eles já tinham cerca de vinte mil homens em seu exército e a sua estrutura de hierarquia era muito parecida com a maçonaria.  Eles cresceram muito porque depois dos nove cavaleiros permaneciam apenas os nove, depois que começou a entrar mais pessoas, a casa começou a bagunçar .
Inicialmente só entravam no grupo dos templários, pessoas pobres, que precisavam até de financiamento, depois os que entravam eram só nobres, nobres esses que tinham que devotar ali aos templários a sua riqueza total, e nesse âmbito de riqueza total é que eles foram crescendo, pois todo mundo que entrava nos templários dava a sua riqueza aos templários e com isso eles foram crescendo. Eles tinham uma estrutura bélica muito forte, eles investiram em uma frota naval muito forte, tanto é que a cruz templária, que é a cruz da ordem do Cristo, está na cruz de Pedro Álvares Cabral e desse pessoal que veio para cá. Eles cresceram também no sentido econômico e parece que eles adquiriram uma independência da Igreja Católica, que era detentora de todos os poderes políticos e socioeconômicos, culturais da época, e nesta época eles conseguiram essa independência, o que chega a ser curioso, pois, como pode a igreja católica fornecer tal independência aos templários, como terras, como privilégios de não pagar impostos, onde eles não precisavam pagar impostos nos feudos que adentravam, numa época em que o feudalismo era reinante. Então eles conseguiram muitos privilégios da igreja católica e é evidente e alguns pesquisadores sugerem  que guardavam segredos, que para a igreja não era interessante que fosse revelado, como a arca da aliança, como a linhagem crística, e era isso que eles buscavam.  Quem detiam 2/3 de terras na Europa na idade média? Era a Igreja Católica, portanto ela era o poder supra Nacional e era a maior influencia, e era verdade. Só que os templários chegaram a formar um império, não em terras, porque não era um império político, era um império militar e econômico. Sabe-se que eles foram os primeiros banqueiros mundiais, onde eles herdaram essa tradição que é árabe de outra sociedade que era a sociedade dos assassinos  eles herdaram aquelas questões bancárias de empréstimos, dos cheques, que  acabaram fazendo posteriormente, pois naquela época era muito complicado se andar com riquezas, devida a grande quantidade de saqueadores. Então, as pessoas iam aos templários, davam a eles suas riquezas, deveria existir uma agência em cada feudo ou coisa parecida e então os templários davam um papel que garantia a riqueza depositada.
A história convencional diz que os primeiros banqueiros surgiram na Itália, na Florença, nos burgos e isso é ma mentira, quem começou com esse processo de banco foi os templários,  quando eles começaram esse processo, que foi uns quarenta anos após a sua formação, na minha opinião eles já tinham a influencia do G.O, pois na verdade hoje eles passaram a dominar através desse poder internacional.  Na época a igreja católica condenava a usura, e eles tinham mecanismos de fugir dessa usura, que seria o lucro abusivo, os juros cobrados abusivamente nas mercadorias. Eles, os templários, na verdade utilizavam a igreja
inicialmente como um bode expiatório, como um instrumento, para que eles inicialmente cumprissem seus desejos. Essas sociedades secretas até tinham conhecimentos universais, praticavam e até hoje ainda tem alguns conhecimentos, mas com o tempo elas foram infiltradas pelo G.O, sendo que hoje existe apenas uma que não foi infiltrada . Então, os templários tiveram um bom início e depois acabaram se perdendo. No filme Cruzadas  mostra uma batalha que eles perderam e por isso tiveram um declínio, após essa derrota, que foi uma derrota brutal, pois vejam, os templários eram uma espécie de elite militar tremendamente temida, com enorme moral e essa moral se perdeu nessa época, mais ou menos por volta de 1134  - 1140, tiveram uma derrota no deserto de Jerusalém, para proteger a invasão de Saladino e isso pode ser visto também no filme, e ao que parece depois dessa grande derrota eles nunca mais voltaram a ser os mesmos, mas acredita-se que naquela época eles já tinham uma grande influência do G.O, porque eles construíram milhares de templos e veja, eles construíram inicialmente esses templos em cima de construções que já existiam, sendo que  essas construções além de serem grandes vórtices de energia, grandes chacras, eram bases extraterrestres.
 Por causa dos vórtices de energia,  uma das construções é a catedral de paris, a catedral de Chartres, que fica no sudoeste de Paris, ela foi construída sobre um antigo centro dos Druidas, que eram também povos que migraram da idade média e elas recebem nomes derivados de tribos célticas, que são os druidas, e vejam bem, muitos consideram os celtas pagãos, mas eles tinham um grande conhecimento ali em relação ao universo. Essa obra ela terminou em 1134 e muitos acreditam que essa catedral teria tido uma grande influencia do oriente médio, principalmente no que diz respeito à geometria sagrada e a matemática , que é um conhecimento que vinha dos árabes .Essa catedral foi construída com base nesses conhecimentos, inclusive ela se parece muito com a catedral gótica de Notre Dame em Paris e uma coisa que evidencia a presença dos templários nessa catedral é que no lado norte,na sua porta norte, em cima de uma pilastra esta escrito em latim: “Neste lugar a arca é amada e obedecida”, só que o latim também tem várias traduções e portanto também pode significar : “Neste lugar a arca está escondida”. Então, na parte norte da catedral de Chartres em Paris, você pode encontrar em uma dessas pilastras ,uma inscrição e um símbolo talhado ali em uma dessas pilastras, uma escritura que diz : ”aqui a arcada aliança está”, então provavelmente num dado momento as evidências mostram que teria sido, uma prova, é uma evidência, de que os Templários teriam achado essa arca, inclusive em cima dessa pilastra existe uma ilustração de uma espécie de arca sendo carregada por um tipo de carreta sobre rodas na catedral de Chartres. Então, isso é só para  verificar que em algumas construções, e foram milhares na Europa inteira, seu poder e influência foram gigantescos
sobre os Templários.
Outro fato é que um dos Templários se casou com a filha do rei de Jerusalém e acabou se tornando rei, então os Templários chegaram à categoria de nobreza em Jerusalém e acabaram sendo perseguidos. O re Felipe II, ou Felipe O Belo, que por ordem e pressão do papa acabou perseguindo os Templários e segundo o que consta na história esse rei estava extremamente endividado com os próprios Templários, que eram os únicos banqueiros da época, e como os Templários já estavam perdendo a sua credibilidade, o que aconteceu? Eles foram destruídos pelo Felipe II, naquela famosa e fatídica sexta-feira 13, e daí teria surgido a lenda da sexta-feira 13. Os Templários tinham seus segredos e tiveram um bom início, mas eles foram infiltrados por outras ordens. Então os Templários teriam deixado ali um legado muito grande para os maçons.O fato é que os Templários deram origem também à Maçonaria .